Adequação ao Mercado de Trabalho – parte 4

Finalmente a última parte do vídeo. Essa última parte começa com um resumo cronológico dos desafios enfrentados pelos imigrantes. E termina explicando como e porque os imigrantes desconhecem tais desafios ao mudar-se para o Canadá.

Um pequeno resumo cronológico

O imigrante precisa:

  1. Saber como encontrar um emprego
  2. Descobrir onde ele se encaixa profissionalmente
    • geograficamente
    • profissionalmente
    • e em termos de skills
  3. Eles precisam aprender iniciativa
  4. Depois, eles precisam aprender trabalho em equipe
  5. Desenvolver soft-skills
  6. Conhecimentos em vendas
  7. Liderança
  8. Etc
  • É um processo de uma vida inteira
  • Para mim o desafio número 1 é o feedback
    • Eu vejo pessoas perdendo o emprego porque não entendem o feedback que estão recebendo
  • E também como fazer networking
    • O profissional canadense se classifica pela linha (área de atuação) ou pela coluna (ramo de atividade em que tem experiência)
    • O networking deve ser feito pela linha ou pela coluna

Pergunta da audiência

“Quando eu peguei o vôo para o Canadá, por volta dos 35 anos, eu tinha alguma noção de todas essas questões? Agora quando ouço essa palestra o que eu faço?”

  • Há dois aspectos nessa pergunta
    • O que os imigrantes sabem quando vêm ao Canadá
    • O que fazer para mudar essa questão
Gráfico 17

Gráfico 17

O que imigrantes sabem quando chegam no Canadá

  • Isso é muito importante, e foi parte da palestra anterior a esta
  • Como trazer informações aos imigrantes deles virem ao Canadá
  • Quais são as fontes de informações dos candidatos a imigrantes
    • Consultores de imigração
      • Eles contam toda a verdade? Claro que não
      • Eu sei que essa não é exatamente a pergunta mas uma questão que interessa a muitos
      • Eles geralmente focam na parte do sucesso
      • Eles dizem: “Ei! vc pode conseguir muito mais no Canadá!”
      • E eles estão certos?
      • Entre os 100 mais ricos no Canadá 30 nasceram fora do Canadá
      • Mas nem todos imigrante vão chegar lá
    • Mídia
      • Qual é o retrato apresentado na mídia?
      • Filmes de Holywood
      • Series de TV
      • Quantos de vcs vivem uma vida similar a “Sex and the City”? (risos)
      • Quando eu fui estudar na Califórnia minha idéia de lá era tirada de “As Panteras” (risos)
      • Mas na universidade aonde eu estudei havia 7 homens para cada mulher
    • Membros da família
      • Membros da família que estão no Canadá dão uma visão parcial da situação
      • Eles vieram do mesmo país então vêem as coisas na mesma perspectiva
      • Quando eu trabalhei na Xerox, cada vez que eu tinha um problema eu ia conversar com uma colega francesa que já estava lá a 10 anos
      • Sua perspective de trabalho em equipe era a mesma que a minha
      • Quando tinha algum conflito na equipe a gente conversava
      • E nós dois concordávamos que os canadenses não tinham a mínima idéia de como trabalhar em equipe
      • Seus conselhos serviam para reforçar meu mau comportamento segundo os padrões canadenses
    • Pessoas que visitam o país de origem em férias
      • Quem volta para o país de origem em férias?
      • Quem pode pagar! Quem já está próximo do seu alvo! (linha verde no gráfico)
      • Pessoas na curva de baixo não costumam passar as férias no seu país de origem
      • Alguns que estão estagnados também voltam ao país de origem após alguns anos
      • E como eles agem? Do mesmo jeito de quem está no topo. Trazem presentes pra todo mundo!
    • Departamento de imigração
      • O departamento de imigração e cidadania fornece boas informações
      • Mas o problema é que os funcionários desse departamento são canadenses
      • E vem as coisas no ponto vista de quem já canadense
      • Eles tem mais informação, mas não muito mais
    • Websites como notcanada.com
      • Como as pessoas interpretam esses websites negativos quando estão ainda em seus países de origem?
      • Eles desconfiam e pensam: “Eles querem ficar com tudo para eles”
  • Na minha opinião os imigrantes chegam no Canadá tem um conjunto de informações distorcida
  • Não porque eles não buscam
  • Mas porque recebem informações imprecisas
  • Ou não sabem interpretar corretamente as informações

Meu próprio exemplo

  • Quando decidi estudar na Califórnia as pessoas me falavam sobre Los Angeles
  • Se alguém falava sobre smog, trânsito, etc. eu logo cortava a conversa
  • Mas se a pessoa falava sobre L.A. ser “Sea, sex and sun” aí eu estava pronto para ouvir e conversava por 2 horas
  • Quando a pessoa decide por imigrar ela coloca antolhos mentais
  • Talvez tenha acontecido com vocês

Segunda parte da pergunta: como passar a informação correta às pessoas

  • A minha experiência diz que a informação deve ser repetida várias vezes
  • Quando você passa para as pessoas informações que não se encaixam com a visão do mundo que elas tem em mente, essa informação é rejeitada
  • Não existe lugar na mente para aquela informação entrar
  • Minha mente é uma série de gavetas
  • Se eu recebo uma informação e não há gaveta para ela onde ela vai parar? Na lixeira
  • Se eu recebo novamente a mesma informação repetidamente, a mente acaba criando uma nova gaveta
  • Quando um novo conjunto de gavetas novas é criado eu posso repensar a minha visão
  • Isso é o que acontece até que a pessoa diga: “Oh! O Canadá funciona de uma maneira completamente diferente”

A informação deve ser entregue na maneira que o imigrante possa processá-la

  • Muitos imigrantes processam a informação baseando-se
    • Na credibilidade da pessoa
    • No fato de ser uma pessoa real e não um website
  • Websites não significam absolutamente nada para um russo
    • Na Rússia websites são criados pelo governo
    • E por definição contêm informações erradas
    • Ou são informações plantadas, como na época da União Soviética
  • Informações escritas geralmente não servem
  • É preciso receber a informação de alguém em que a pessoa confie
  • Um imigrante confia em
    • Pessoas do mesmo país de origem
    • E em uma posição social mais alta do que a sua
    • Ou uma pessoa na mesma profissão
    • Com um nível de escolaridade pelo menos igual ao seu
  • A pior coisa que acontece é um profissional de recolocação com bacharelado em RH atendendo um imigrante com mestrado em engenharia
    • Muitas vezes o imigrante não acredita no que está sendo dito
    • Pensam: “você não pode me dizer o que fazer, pois vc está num nível social inferior ao meu”
  • É um grande problema
  • Como eu tenho PHD em engenharia, eu vou a eventos de engenharia falar sobre esses assuntos e as pessoas dizem “Oh isso é maravilhoso!”
  • Eu digo as mesmas coisas que os agentes (caseworkers) dizem, mas eles acreditam em mim porque eu tenho um PHD
  • Precisamos encontrar pessoas que possam fazer apresentações e que venham da mesma área profissional
  • Mesmo se as pessoas vão querer entregar o seu C.V. no fim, vale a pena ter alguém da mesma área apresentando essas informações

Alguém avisa que o tempo acabou (aplausos)

Termina com a indicação de um livro escrito pelo palestrante para profissionais de RH sobre os imigrantes no mercado de trabalho:

Recruiting, Retaining and Promoting Culturally Different Employees

3 opiniões sobre “Adequação ao Mercado de Trabalho – parte 4

  1. Parabéns, Sandro! O q vc fez aqui é digno de prêmio! Vc prestou um serviço enorme à centenas de pessoas…
    Abraço

  2. Brigadão pela oportunidade, Sandro. Sem seus resumos, essas importantes informações me passariam em branco.

Deixe uma resposta para Marivaldo Burégio Cancelar resposta

OU COMENTE USANDO O FACEBOOK