Financiamento para troca de carro

saaqNosso primeiro carro comprado no Quebec ficou conosco um ano. Já estava bem usado quando nós o compramos  e tratamos de gastá-lo mais um pouco. Quando a família já estava exigindo um carro maior, aconteceu uma pequena colisão, o que foi a gota d’água. Portanto decidimos testar nosso crédito no Quebec para trocar de carro. Conto aqui como foi.

O carro velho

Nosso carro velho

Nosso carro velho

O primeiro carro que compramos, um Kia, atendeu ao único requisito exigido pela Adriana: “Andar pra frente e fazer curvas”. Foi comprado de um particular em dinheiro, foi bem barato então as expectativas eram poucas. O carro era forte mas poderia estar mais conservado pelo antigo dono.

Tivemos alguns problemas sérios do carro não pegar durante o inverno e foi solucionado quando a bateria original do carro, com 8 anos de uso, foi substituída por uma nova. Tivemos que fazer uma manutenção nos freios e suspensão o que custou 25% do preço do carro. Mas fora isso o carro foi bem valente, viajamos algumas vezes com ele sem problemas. Era um carro econômico para os padrões norte americanos, com seu um motor 1.8.

Procurando outro carro usado

A nossa ideia sempre foi comprar outro carro usado menos rodado e um modelo maior – entenda-se mais alto, e com rodas maiores – para acomodar melhor as crianças nas cadeirinhas e para atravessar a neve mais facilmente.

O mercado de carro semi-novos é bem aquecido por essas bandas. Existe por aqui a possibilidade de adquirir um carro zero por aluguel, é um tipo de leasing onde paga-se apenas a desvalorização do carro. Após 4 ou 5 anos, no fim do contrato, o carro é devolvido à concessionária e o cliente simplesmente aluga/compra outro. Isso significa que as lojas ficam repletas de carros de 4 ou 5 anos de uso em seus pátios.

A maior loja de Montreal especializada em revender esses carros semi-novos é a Autoprix, então fomos lá procurar um carro para nós. Fomos na quarta-feira que é o dia em que eles recebem novos carros no pátio, já que os melhores saem primeiro. E por ser o dia da feira, estava uma bagunça. Gostamos de um carro mas o vendedor não conseguia achar a chave para vermos o carro por dentro e não tinha tempo para nos explicar como funcionava o financiamento. Então combinamos de voltar no dia seguinte. A única coisa que conseguimos naquele dia foi avaliar o carro velho, que seria dado como entrada. O vendedor nos ofereceu $350 – não digitei errado é isso mesmo! Ele ainda disse que se não estivesse batido dava para dar uns 700$. Então tá!

Na saída resolvemos dar uma passadinha numa concessionária, já que imaginamos que todo mundo estaria na Autoprix e teriamos atendimento VIP. Fomos até uma concessionária da rede Gabriel, que tem quase 20 concessionárias pelo Quebec. E deu certo, eramos os únicos lá, olhando o único carro 2005 disponível no pátio, mas era exatamente o que a gente queria. Reservamos o carro e voltamos no dia seguinte com uma pasta de documentos em baixo do braço. Ah… lá ofereceram 1.000$ no carro velho. Melhorou um pouco né?

Lembrando que comprar em lojas tem os seus prós e contras. O maior problema é que vc paga as taxas federais e provinciais; comprando de um particular vc paga apenas as provinciais. Uma das vantagens é que vc faz tudo na loja, não precisa ir à SAAQ. Lá mesmo você tira a sua placa de um carro e põe no outro e vai pra casa com tudo em ordem. A loja te dá uma nota fiscal, com a qual vc pode circular por 30 dias, o documento definitivo vem mais tarde pelo correio.

Financiamento

Quem já está no Quebec sabe que esse negócio varia muito. Conheço pessoas que chegaram aqui e compraram carro financiado, outros que não conseguiram sequer fazer um cartão de crédito, nem deixando depósito. O que sabemos é que demora uns dois anos para se construir um bom histórico de crédito. E antes disso vc está sujeito a pagar juros altos, ou simplesmente não conseguir o financiamento.

O preenchimento da proposta de financiamento foi um caso a parte. O gerente financeiro nos perguntava os dados e ia preenchendo um formulário no sistema do banco. Tempo no emprego atual? Sete meses respondo eu. Um ano e sete meses – preenche ele. Tempo de residência. Três meses. Dois anos e três meses digita ele. Vendo a minha cara ele diz – o sistema não gosta de campos preenchidos com zero. Ah bom!

No dia seguinte ele me liga dizendo que o BMO exigiu meu NAS e um fiador. Falei que não tinha fiador, mas poderia tentar incluir a minha esposa no dossiê ou dar uma entrada maior. Ele falou que ia tentar de novo, dessa fornecedo o NAS. Mais um dia e ele me ligou – seu crédito foi aceito e consegui uma taxa melhor. Quem nos aceitou foi o ScotiaBank, que parece ter um olhar mais carinhoso aos nouveaux arrivants.

Assinei duzentos formulários diferentes, escolhi alguns dos serviços opcionais oferecidos pela concessionária, onde eles ganham o dinheiro. Alguns serviço são bem importantes como a proteção contra ferrugem e o controle remoto para ligar o carro à distância. E tudo foi incluído no financiamento. Aqui quanto maior o financiamento mais fácil é aprovar, os bancos só querem 5 a 10% de entrada, no máximo. Ou seja, demos o carro velho de entrada e saimos com o novo e mais 60 meses para pagar. Como não temos ainda 2 anos de Canadá estamos pagando 8% de juros, ao ano. Um absurdo!

10 opiniões sobre “Financiamento para troca de carro

  1. Compramos nosso carrinho usado faz 1 mês no máximo. Fomos na Autoprix e odiamos o atendimento. Desde o vendedor até e principalmente ao rapaz que faz a parte do financiamento. Ele nos tratou muito mal, com preconceito e no final das contas, ele terminou dando entrada sem a gente dizer “dê entrada nesse negócio!”. Sabíamos que não ia passar, ainda mais com ele preenchendo tudo no modo “não tô nem aí” e tivemos que pagar $300 no cartão por uma taxa que não entendi bem o que era. Disseram que no final, se não fôssemos aceitos, esse valor seria extornado, senão seria debitado do valor do carro.
    Levamos 2 semanas para ter esse dinheiro extornado, meu marido foi lá pessoalmente, chutou o pau da barraca e ainda fez uma reclamação formal ao gerente sobre esse funcionário. O que deu depois eu não sei, massss… nessas 2 semanas, fomos numa outra loja, a Car are Toys, acho que o dono é árabe. Fomos melhor tratados lá, tivemos que pagar 50% do valor do carro à vista (se bem que o carro foi barato) pq o marido só tinha 1 mês de emprego e o resto do valor financiamos em 1 ano e meio. Ganhamos uma troca completa de todo o sistema de freios e de graça.
    Ficamos satisfeitos. Estamos com um carro que queríamos, SUV, 2003, econômica e acho que pra esse primeiro inverno estará de bom tamanho.
    Acho que o que vale na hora de comprar carro é a pesquisa. Comprar na 1a. loja não é aconselhável.

    Ah, lembrei que fomos na Gravel também. O problema é que… financiamento pra gente não dava, pelo tempo de serviço do marido e além disso, os carros que tinham expostos que podíamos pagar à vista estavam literalmente colados com silver tape!! É, isso mesmo! Silver Tape no paralama… rsrsrs

    Só uma pergunta: aquela foto do carro antigo cheio de neve é aqui no prédio??? 😛

    • Oi Bea,

      Essa foto foi tirada bem embaixo da sua janela :-). Como a rua aí é um corredor importante para o bairro eles limpam constantemente, mas isso significa jogar a neve da rua e da calçada pra os lados, isto é, pra cima dos carros. Mas só ficou assim pq depois de uma tempestade de neve de 30cm.

  2. Nossa! 30 cm de neve é muita coisa! Hehehehe, me assustei ao ver a foto! 😛

    Me imaginei tendo que cavar e abrir a porta do carro! Heheheheh

  3. Primeiramente, parabens pelo post, posso dizer que até o momento tem suprido e muito as espectatrivas pelas descrições detalhadas.
    Desde a do CV até do financiamento.

    Estou em fase inicial no Brasil para dar entrada no dossiê.

    Desejo muita paz e sucesso todos os dias, é uma batalha diária entre adaptação, mudança de costumes e não passar por imigrante e ser enganado.

    Gostei do final do post. 8% ao ano! kkk piada. Último carro que comprei um Corsa Sedan 1.4 Flex 2009/2010 foi em 36x com juros mais em conta 1.2% ao mês, ou seja quase 15% ao ano e ainda foi porque dei quase 50% do valor do carro!..

    PS.: o que seria o NAS? Outro detalhe não mencionado. Seguro é obrigatório na saida com o carro da concessionária?

    • Olá Gorki,

      NAS é mais ou menos o CPF daqui. Na teoria vc só deve fornecer o número do NAS para o seu empregador. Isso é para evitar fraudes, evitar que pessoas trabalhem ilegalmente com o seu cadastro e ainda joguem os impostos nas suas costas. Na prática é normal fornecer o NAS para instituições financeiras e em alguns casos para o proprietário, mas nesse caso agente diz apenas o número não mostra nem empresta o cartão. Este deve ficar bem guardado em casa.

      O banco obriga vc a fazer o seguro antes de tirar o carro da concessionária. Entre as papeladas do financiamento, é necessário assinar uma declaração de que vc renovará sempre o seguro completo (não apenas para terceiros) durante toda a duração do financiamento.

  4. Olá, Sandro!
    Muito bom! Parabéns pelo carro!
    Mas deixa eu te perguntar uma coisa… como é o esquema de seguro aqui? É igual ao do Brasil? E os outros “encargos” devido ao carro? É cara a placa? Aqui tem imposto tipo IPVA?
    Nossa! Acho q com essas perguntas valeria mais a pena te pedir um post! rsss
    Se uma hora tiver um tempinho, vc consegue compartilhar esses detalhes?
    Peço isso, pois no Brasil, sabemos q o carro (depois da moradia) era nosso maior gasto! Quermos fazer uma previsão por aqui tb!
    Obrigada! Até!

    • Juliana,

      Seguro é bem parecido com o Brasil. Com uma ressalva: o seguro contra terceiros é obrigatório. Para um carro com um valor por volta de 10.000 dolares, o seguro completo sai por volta de 1.000 dolares por ano e o seguro apenas contra terceiros uns 350. Claro que depende do seu perfil como motorista.

      Imposto vc paga quando compra o carro 13% se for em loja e un 7.5% se for de particular. Mas existe dois encargos anuais para se ter carro: a renovação da matrícula que é como o licenciamento no Brasil e custa uns 260 dolares e a renovação da carteira de motorista que sai uns 90 dolares. A placa custa uns 20 dolares ou menos e quando vc troca de carro vc mesmo tira a placa do velho e põe no novo, paguei uma taxa de transferência de 8 dolares.

      Carro aqui fica caro quando vc vai ao mecânico! Por isso é bom aprender a trocar pastilhas, filtros e outras peças por conta própria.

Deixe uma resposta para Gorki Pinheiro Cancelar resposta

OU COMENTE USANDO O FACEBOOK